Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas de uma mãe atrapalhada 2: o nosso anjo azul

Um dia escrevi sobre as aventuras e desventuras das delícias da maternidade e do milagre da vida! Este é a continuação dessas aventuras com um menino especial com autismo e um raro síndrome de deleção 18P

Crónicas de uma mãe atrapalhada 2: o nosso anjo azul

Um dia escrevi sobre as aventuras e desventuras das delícias da maternidade e do milagre da vida! Este é a continuação dessas aventuras com um menino especial com autismo e um raro síndrome de deleção 18P

Hoje é um dia especial!!!! Às 18h18 temos festa

Revisitando o que escrevi primeiro aniversário do Gonçalo

Sim só às 18he18 sai o texto dedicado hoje ao Gonçalo. Até lá decidi celebrar revisitando os textos que lhe escrevi até hoje. Irão saíndo posts até ao do dia de hoje e assim vamos "vendo" o Gonçalo crescer

Quando o Gonçalo fez um ano não havia o mínimo indício de nada. Este foi o meu texto publicado originalmente aqui

Um ano de ti Gonçalinho

Quando a tua irmã nasceu eu pensei que dificilmente voltaria a amar um ser tão profundamente. Pois como alguém disse “ser mãe é andar com o nosso coração longe de nós.”. E eu achava que não ia aguentar ter outro coraçãozinho fora de mim. Mas enganei-me, já te amava desde o dia em que soube que estava dentro mim, mas quando tu nasceste fui tão feliz. Foi um parto induzido, mas teve as suas vantagens. Eu estava calma, segura confiante. Sabia que era o médico que assistira a gravidez que me ia fazer o parto. Foi um parto bonito. Adoro reviver esse momento. O papá fotografou o teu nascimento, e cada vez que olho as fotografias e vejo o meu sorriso de felicidade revivo com muito carinho esse momento. Sou daquelas mulheres abençoadas pela natureza que me favorece partos fáceis. Lembro-me de perguntar ao médico quanto tempo demoraria , pois era por indução. Quando ele me disse depende de si, podemos cá ficar até às três da manhã. Respondi nem pense nisso, se bem que me conheço tenho isto despachado antes das sete da tarde. Assim foi. Estavam acabar de me dará epidural ( que me arrependi de ter deixado que me convencessem) quando começaste a dar sinais de querer sair. Foi tudo tão sereno e tão rápido que nem me apercebi de já estares quase todo fora de mim. Ouvi um choro mas não queria acreditar que fosse já o teu. Perguntei ao médico: Posso parar de fazer força, é que já estou cansada. E ele responde meio admirado meio divertido: OH Flora olhe que ele já está cá fora!
Palavras mágicas. Quis ver-te. Quando o médico te pousou em cima de mim e disse que ias ficar assim comigo n até ao recobro fui a mulher mais feliz do mundo. Eu só dizia, que bom, que bom! Que maravilhoso é ter o meu filho assim juntinho a mim. Com a minha filha não tive essa oportunidade, ela nasceu sem ar tiveram de a levar para lhe dar oxigénio. Só ma trouxeram passado muito tempo. Tempo esse em que eu temi o pior. Felizmente foste mais afortunado. Só te separam um pouquinho de mim para te vestires. Foste logo amamentado na primeira hora de vida. Talvez por isso, embora um pouco sôfrego, foste sempre um ótimo mamão. Fomos muito mimados no hospital por toda a equipa desde o médico que te fez o parto, aos outros médicos, às enfermeiras. Tudo foi maravilhoso! Depois o papá foi buscar a mana que hoje estou arrependida de não lhe ter feito a vontade e não ter arranjado forma de ela assistir ao parto como era se u desejo. Mas ela estava feliz na mesma. A primeira coisa que disse foi: “Oh mãe o mano é tão lindo!” E a seguir fartou-se de te dar sermões sobre ser a mana crescida. Foste sempre um bebé doce, pouco chorão, risonho, dorminhoco, sociável, meiguinho. Aos 4 meses começaste dizer “Olá”, mas pouco mais…palravas o teu bebês. Depois começaste a chamar Bebá a todos atá a mim. A mana inchou de vaidade. Sentaste-te ao 6 mesinhos. Batias palminhas e fazias olhinhos bonitos. Nunca atinaste com a “burrinha velha “nem com o” põe a galinha o ovo”. Mas sabias mostrar o pá bonito e outras gracinhas. Gatinhas desde os 9 meses e fazes muitos tem-tens. Sempre deste muitos beijinhos na mãe, mas agora assim que vês o pai dar beijinhos na mãe dás logo a seguir também , como quem diz larga-lá a mamã que a mamã é minha e também sei dar beijinhos. És um charmoso um conquistador, adoras meter-te com as meninas das lojas quando não se metem elas contigo e deixa-as sempre conquistadas. Isto para nem contar com as enfermeiras do Centro saúde que até te vão visitar quando vais às consultas. E não lhes pertences a elas Também és um vaidoso. Gostas de mostrar as coisas novas “os pa” (sapatos) e sabes dizer que és o bebé bonito da mamã. Estou ainda mais cansada do que estava quando só tinha a tua irmã. Mas és tão maravilhoso, que se alguém se atrever a me perguntar se estou arrependida só posso responder Claro que não. “l’ll do it again”!
A tua última gracinha é dizer “ ade ades” a tudo e a todos e também sabes dizer que a mã faz “blá blá, blá” aos meninos. És um doce , carinhoso, fofo e ternurento, mas quando te dão as tuas “venetas” embora raras é de sair de perto mas és maravilhoso e és lindo! É oficial tu és o “homem” da minha vida! Por isso hoje às 18h18 estamos parabéns!

Grasnar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.