Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas de uma mãe atrapalhada 2: o nosso anjo azul

Um dia escrevi sobre as aventuras e desventuras das delícias da maternidade e do milagre da vida! Este é a continuação dessas aventuras com um menino especial com autismo e um raro síndrome de deleção 18P

Crónicas de uma mãe atrapalhada 2: o nosso anjo azul

Um dia escrevi sobre as aventuras e desventuras das delícias da maternidade e do milagre da vida! Este é a continuação dessas aventuras com um menino especial com autismo e um raro síndrome de deleção 18P

É só que…têm sido uns dias difíceis.

Não tenho escrito. Não é por preguiça, nem por falta de vontade, nem por falta de novidades. Não tenho escrito porque têm sido uns dias difíceis. A miúda adoeceu, eu adoeci de seguida . Estava em recuperação, o Pedro passa-me 13 horas no Hospital e vem de lá doente. Ele melhora, fico eu.  Eu melhoro, fica ele.  A tia dele, entretanto dá entrada no Hospital e fica internada. O Fim de semana é passado entre visitas e gerir os miúdos.

Consegui arranjar um tempinho para levar o Gonçalo a ver a chegada do pai Natal. Correu melhor do que eu pensava, mesmo assim estou cada vez menos tolerante com a mania. que as pessoas têm de se meter no que lhes diz respeito. Depois conto tudo  prometo.

 

Puseram-me um miúdo cuja família é perigosa e já me ameaçou  numa turma minha, essa família foi responsável pela agressão a um colega meu que só se  preocupa com os alunos, tendo a preocupação que nenhuma criança fique sem comer , pois, ele é coordenador da Escola onde está e pertence ao Agrupamento onde trabalho. No entanto a escola apesar de ter conhecimento de toda esta situação não me garante segurança nenhuma.

 

Estamos só com um carro  de manhã fica o Pedro com o  Carro e vai levar os miúdos à escola . À hora de almoço vou levá-lo ao curso dele e fico eu com o carro. Vou buscar a Bá á Escola levo-a aos treinos ou às aulas da orquestra  nos dias que tem. Vou buscar o Gonçalo ao ATL, vou buscar o Pedro.

 

A Bá foi à médica de família à tarde por causa das dores de cabeça, á noite foi ao Hospital com uma enxaqueca. Enquanto escrevo isto aguardo regresso dela do Hospital.

Hoje vi a mala do Gonçalo. Cadernos imaculados, sem nada escrito. Apenas o estojo dos marcadores estava mexido.  Sei que ele faz trabalhos no CAA , mas não deixei de me sentir desolada. Queria tanto ter poder económico para o ajudar mais. Ter uma pessoa especializada que o acompanhasse também fora da escola. Mas não estou a ver meios.

Ando cansada, desanimada, sem paciência, sem ânimo.  Só me apetece dormir na esperança de acordar e pensar que tudo isto é só um pesadelo.

Somos só os dois a  dar apoio e não temos apoio de ninguém.

Desculpem o desabafo.  Este blog voltará brevemente ao seu registo normal de me focar nas partes positivas da vida.  

É só que…têm sido uns dias difíceis.

15 Grasnados

Grasnar post