Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas de uma mãe atrapalhada 2: o nosso anjo azul

Um dia escrevi sobre as aventuras e desventuras das delícias da maternidade e do milagre da vida! Este é a continuação dessas aventuras com um menino especial e as suas peripécias.

Crónicas de uma mãe atrapalhada 2: o nosso anjo azul

Um dia escrevi sobre as aventuras e desventuras das delícias da maternidade e do milagre da vida! Este é a continuação dessas aventuras com um menino especial e as suas peripécias.

É Carnaval, ninguém leva a mal!!!!!

 

Carreguem na galeria para verem as fatiotas!!!

 

A origem do Carnaval remonta a épocas muito anteriores ao Cristianismo, nas Civilizações Clássicas como a Grécia e Roma, e mesmo nas Pré-Clássicas como a do Egipto consta que celebravam festas destinadas a celebrar   o culto da fertilidade em honra aos Deuses.  Eram festas de alegria e libertinagem, onde se apelava à luxúria e à sedução. O uso das máscaras escondia a identidade de quem as usava. Como com muitas outras celebrações pagãs o Cristianismo apropriou-se desta e é conhecido por ser o período que antecede a quaresma (período de preparação para a celebração da Páscoa) e em que os Homens e mulheres incluídas se podem entregar aos prazeres proibidos dai para a frente. Na idade Média chegou a ser conhecida como a festa dos loucos. A palavra Carnaval ter-se-á formado a partir da das formas populares do Latim que queriam dizer Carne e vale que queria dizer “adeus”, ou seja significaria o Adeus à Carne. Sendo a Terça Feira do Entrudo o ponto alto desta celebração que se encerra com a Quarta – Feira de cinzas. 

Atualmente no nosso país celebra-se com as pessoas vestidas das mais diversas fantasias e pregar partidas de mau gosto. A parte das partidas não acho piada nenhuma, mas adoro mascarar-me. E adoro ver os meus filhos mascarados. Durante uns anos perdi a coragem, mas depois de ser mãe passei a mascarar-me todos os anos com a Bá e agora mantenho a tradição. Todos os anos tento que o Gonçalo escolha o fato dele, desde os seus 5 anos e ele normalmente aponta o que quer. Este ano foi mais complicado, mas agarrou-se a um fato de palhaço, pensei que fosse o que ele queria. o pior foi a fita que fez depois para se vestir.  Quando foi para a escola não quis pôr o chapéu. Para ele se entusiasmar a irmã decidiu mascarar-se também e palhacinha, assim como a mãe e até o pai arranjou um chapéu e um nariz.  Depois de muita luta lá conseguimos que vestisse o fato, que se rasgou um pouco, mas é carnaval, ninguém leva a mal e desta vez o Gonçalo até deixou pôr o chapéu, em troca de uma corneta!!!

Assim ficam algumas fotos dos nossos carnavais. Espero que gostem!!!

 

2 Grasnados

  • Imagem de perfil

    Mamã Gansa 07.03.2019

    Somos um povo demasiado sério e macambúzio. A vida passa num ápice fica estes momentos em que nos divertimos em família, mas o clima também não ajuadou muito na Terça Feira. No Domingo não saímos tinha a miúda doente.
  • Grasnar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.