Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas de uma mãe atrapalhada 2: o nosso anjo azul

Um dia escrevi sobre as aventuras e desventuras das delícias da maternidade e do milagre da vida! Este é a continuação dessas aventuras com um menino especial com autismo e um raro síndrome de deleção 18P

Crónicas de uma mãe atrapalhada 2: o nosso anjo azul

Um dia escrevi sobre as aventuras e desventuras das delícias da maternidade e do milagre da vida! Este é a continuação dessas aventuras com um menino especial com autismo e um raro síndrome de deleção 18P

DO PRIMEIRO ANO AO NOVO ANO ESCOLAR DO GONÇALO.

InShot_20210921_224320294.jpg

Eu prometi que contava do dia de ontem e acabei por me inspirar numa pequena

viagem ao passado fazem-na comigo?

DO PRIMEIRO ANO AO NOVO ANO ESCOLAR DO GONÇALO.

 

Para a maioria das mães a entrada no primeiro ciclo é uma etapa esperada com um misto de expetativa e ansiedade. Foi assim para mim quando a minha Bárbara entrou no 1º ciclo e foi aindacom maior ansiedade e expetativa quando o Gonçalo entrou. Honestamente eu não queria que ele avançasse naquele ano , queria ter pedido adiamento, mas a Psicóloga e a Pediatra do desenvolvimento na época foram da opinião que seria o melhor para ele. Eu não posso estar mais grata por todo o trabalho , carinho e empenho que tiveram com o meu filho. A evolução do Gonçalo em três meses foi tão notória que todos me perguntavam o que eu lhe tinha feito. A resposta era simples” mudei-o de escola.”

O primeiro ano decorreu lindamente apesar de na receção o Gonçalo esta a dormir porque essa noite tinha tido o sono desregulado. Mas como uma vez me disseram “ maus principios, bons fins”.

O Gonçalo foi bem recebido e integrado na turma e aceite pelos seus pares e respetivos pais. Mas no segundo ano surgiu a pandemia. Por um lado foi positivo, porque esse ano eu já estava em casa por motivos de saúde e pude acompanhar muito o Gonçalo inclusive nas aulas online e as professoras de educação especial até me elogiaram dizendo que o Gonçalo foi um caso de sucesso por não regredir.

Contudo a partir do terceiro ano por medidas Covid o Gonçalo deixou de frequentar a sala. Era suposto ir subindo gradualmente o tempo em sala. Porém o ano passado isso não aconteceu e este ano como não há pessoal volta a acontecer e o que me deixa também triste e de coração partido é nunca ter sido dada oportunidade ao Gonçalo que aprendeu a falar inglês sozinho aos cinco anos, de frequentar a Aec de Inglês. De resto ele é feliz na escola e as professoras puxam por ele.

No entanto tenho pena de não ter dinheiro para dar mais terapias ao meu filho pois sei que tem potencial para evoluir muito mais. O Gonçalo entrou no quarto ano e eu tenho o coração muito apertadinho. Mas ele foi e voltou feliz por estar na escola e orgulhoso da sua mochila fez pose enquanto eu o fotografava e ter um filho feliz para mim é muito bom. Queria tanto que o mundo o recebesse como ele recebe tudo na vida de braços abertos.

 

 

3 Grasnados

Grasnar post