Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas de uma mãe atrapalhada 2: o nosso anjo azul

Um dia escrevi sobre as aventuras e desventuras das delícias da maternidade e do milagre da vida! Este é a continuação dessas aventuras com um menino especial com autismo e um raro síndrome de deleção 18P

Crónicas de uma mãe atrapalhada 2: o nosso anjo azul

Um dia escrevi sobre as aventuras e desventuras das delícias da maternidade e do milagre da vida! Este é a continuação dessas aventuras com um menino especial com autismo e um raro síndrome de deleção 18P

Carta à Senhora Ministra da Saúde

Escrita por uma mãe e professora de autistas

120458084_3681673618533431_9056762026300406133_n.j

 Cara Senhora Ministra da Saúde

Devo dizer que depois de muito refletir nas suas palavras, que se calhar tem razão quando diz que o Governo não é autista.

    Como mãe de um autista e professora de alguns vou passar a transmitir-lhe o que aprendi com os autistas, que faz com que eu concorde quando diz que o Governo não é autista.

 Os autistas são genuínos, não têm filtros e não dizem mentiras veladas. Tem razão o Governo não é genuíno e filtra as informações que nos passa, como vê tem razão. 

 Ao contrário do que é comum pensarmos ou associarmos aos autistas, eles veem pormenores que nos escapam a nós comuns mortais, por isso têm uma imensa capacidade de analisar detalhes dos quais não nos apercebemos. Por isso tem razão, o Governo presta pouca atenção aos detalhes, como por exemplo o de ter uma Ministra da Saúde que usa o termo Autismo como adjetivo.

 Os Autistas são leais a quem os apoia e nunca o esquecem.  Sendo a senhora representante do seu Governo e de quem elegeu o partido que o escolheu,  foi desleal à comunidade autista e àqueles desta comunidade que lhe deram o seu voto. Por isso tem razão, o Governo não é autista porque não é leal.

 Os Autistas são coerentes, por mais estranhos que nos pareçam os seus alinhamentos, as suas estereotipias, para eles tem um objetivo bem determinado. E de facto já percebi pelas suas comunicações que nem sempre este governo tem um objetivo bem determinado, nem consegue ser coerente. Por isso tem razão, este governo não é autista.

Os autistas têm uma enorme determinação e capacidade de organização características que pelas (des)informações prestadas, não reconheço ao governo, por isso tem razão, este governo não é autista.

Sendo eu uma mãe que lutou contra a inépcia médica para diagnosticar o autismo do meu filho, sendo confundido por alguns (pseudo) pediatras e outros profissionais da área da saúde, com falta de educação, acredito que o seu desconhecimento sobre o autismo seja grande.

Fique sabendo que dentro do autismo, alguns se destacam como génios e são tão geniais que contribuíram para mudar o curso da Humanidade e a sua evolução para melhor. Tem razão mais uma vez, o seu exemplo demonstra que este governo não tem génios nem é genial, por isso sim concordo o governo não é autista. Pois não lhe reconheço a genialidade e a capacidade de tornar a Humanidade melhor.

Poder-lhe ia dizer muitos mais motivos pelos quais eu concordo quando a senhora diz que este governo não é autista, mas termino dizendo-lhe que se calhar quer o Governo, quer a Humanidade seriam muito melhor se todos fôssemos autistas com a sua capacidade de ver o mundo para além daquilo que normalmente vemos, com a sua genuinidade, transparência, lealdade e resiliência às adversidades.

Atenciosamente uma orgulhosa mãe  e  professora  de crianças com autismo e futuros adultos autistas que merecem viver num mundo que os respeite e valorize.

PS- Recebi o seu recado, mas se quiser genuinamente pedir desculpas faça-o na comunicação social dirigido a toda a comunidade autista e não " a quem consigo possa ter interpretado as minhas palavras da mesma forma", porque o erro não é de quem interpreta, mas de quem na posição de Ministra da saúde usa de  forma  vergonhosa  a palavra autismo como metáfora capacitista.

15 Grasnados

Grasnar post