Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas de uma mãe atrapalhada 2: o nosso anjo azul

Um dia escrevi sobre as aventuras e desventuras das delícias da maternidade e do milagre da vida! Este é a continuação dessas aventuras com um menino especial e as suas peripécias.

Crónicas de uma mãe atrapalhada 2: o nosso anjo azul

Um dia escrevi sobre as aventuras e desventuras das delícias da maternidade e do milagre da vida! Este é a continuação dessas aventuras com um menino especial e as suas peripécias.

Afinal quem é perfeito?

frases-inspiradoras-10-.jpgImagemretirada da net comlinkdereferência

Basta verem uma criança a fazer uma birra e de repente todos se acham melhores que o pai ou a mãe daquela criança e acham-se no direito de mandar postas pescada. E não estou a falar só do meu. Ainda há pouco tempo uma mãe que acompanho dos blogues se queixou do mesmo. Será que foram pais e mães perfeitas??? Ah é verdade alguns não têm filhos e juram a pés juntos que os dele nunca fariam aquilo. Já vi alguns queixarem de terem proferido essa frase na vida. Enfim…

 

 

Alinhamentos

Fiz estas publicação há pouco tempo no Instagram a propósito já nos seguem lá ;) ? Como sei que muitos amigos dos blogues , não têm redes sociais decidi republicar aqui no blogue. Aproveito ainda para alertar que alinhamentos constantes por cor ou de objetos são um dos sinais comuns de autismo, e por mais ilógico que nos possa parecer para eles não é, como se pode perceber pela a atitude do Gonçalo.

Cega, surda e muda e famosa- #Coração azul especial.

Hoje o coração azul especial traz-nos a história de três mulheres especiais. Hellen Keller que vitima de um doença ficou cega surda e muda em criança, da sua mãe que não desisitiu dela e da sua mentora que lutou contra tudo e contra todos para dar uma vida digna a Hellen keller. A prova de que quando não desisitimos conseguimos! Ora vejam:

 

Quem não se encanta com um Caleidoscópio?

Acho que a doce MJ não podia ter escolhido um melhor nome para o seu blogue, afinal quem não se encanta com um Caleidoscópio e com as  diferentes visões mundo que nos traz? Pode não ser aquele blogue que todos os dias tem um post novo fresquinhos, mas tem sempre um post com bom gosto, com elegância, sempre com uma palavra generosa para  os seus companheiros de blogue  e não só, para sempre com imagens ou palavras que nos deliciam alma . O quê? Ainda não conhecem? o que estão à espera espreitem pelo Caleidoscópio da MJ. Não se vão arrepender.

Uma conversa com Deus

9b8a24dfce9a2d94f2dff594b70656af.jpg

Esta noite tive um sonho, filho. Um sonho em que falava com Deus e lhe agradecia pela tua presença na minha vida. Agradecia o teu rostinho lindo, essas bochechinhas que digo que foram feitas para eu te dar beijinhos. Esse teu sorriso capaz de derreter os corações mais duros. Esse teu jeitinho charmoso de nos falares no silêncio quando nos guias pela mão e nos mostras o que queres. Esses teus olhos castanhos grandes, cor de chocolate, e essas pestanas de metro irresistíveis. Esses caracolitos que despertam uma inveja boa em mim e na tua irmã por te darem aquele arzinho de anjinho barroco reguila. Agradecia-lhe a tua perfeição. Sim para mim és perfeito como és. O que eu mais pedia nas minhas orações quando estava grávida, não era nem menino, nem menina, era um bebé perfeito. Levei tempo a perceber o quanto perfeito tu eras. A tua ausência da maldade, e o seres  feliz com tão pouco. Sem dúvida filho és mais perfeito que eu alguma fui, e que alguma vez sonhei que fosses.  Mas no fim de agradecer disse a Deus que ainda tinha um pedido a fazer. Deus respondeu-me

-Mas eu dei-te o que me pediste: um filho perfeito. Então porque te queixas e ainda tens algo a pedir?

Respondi:

-Não me queixo de ti, mas de mim, porque quando te pedi um filho perfeito, esqueci-me de pedir a sabedoria necessária para ser sua mãe. Por isso peço-te agora e todos os dias que me dês a sabedoria necessária para ser de um menino tão puro e perfeito como o filho que tenho.

E Deus respondeu-me:

-Enganas-te. A sabedoria para seres sua mãe, enviei-a com a teu filho. Observa-o, escuta-o mesmo quando ele não tem palavras e está atenta e o teu filho será o teu mestre.

E ditas estas palavras acordei. E sem dúvida filho todos os dias aprendo contigo que a pureza , a genuidade e o amor puro tornam este mundo um lugar muito mais bonito para viver e sinto-me privilegiada por ser tua mãe.

imagem retirada do pintrest

Como a música pode ajudar pessoas com autismo?


 

Será que a música pode ajudar crianças, adolescentes e adultos com autismo no seu desenvolvimento?  A relação da musicalidade com a prática terapêutica junto a pessoas com autismo tem sido alvo de inúmeras pesquisas que iremos ver de seguida com maior pormenor.

 

Como é que o corpo das pessoas com autismo funciona quando há música?

 

As pessoas com autismo podem apresentar um processamento sensorial diferenciado. Sabemos que elas tendem também a processar melhor as informações espaciais e concretas e focar a atenção em partes separadas, podendo ter dificuldade em formar uma ideia geral do todo.

Mas como os processos cerebrais afectam a relação das pessoas com autismo com a música?

 

Um aspecto muito interessante e que está ligado ao funcionamento cerebral específico das pessoas com autismo é que estas pessoas mostram respostas neurofisiológicas reduzidas para estímulos a partir de palavras nas regiões frontais do cérebro. Ou seja, quando comparadas com as pessoas neurotípicas, as pessoas com autismo tendem a apresentar uma diminuição significativa da ativação para palavras em regiões centrais do córtex parietal.

Além disso, nas pessoas com autismo podem ocorrer reduções nos níveis de actividade do córtex auditivo secundário, sendo que esta é a área do cérebro onde deveriam ser processados os sons da fala. Estes factores fazem com que possa existir entre as pessoas com autismo um maior interesse por sons relacionados à música do que por sons vindos da fala.

Segundo o Professor Gustavo Schulz Gattino, em relação à música, as pessoas com autismo tendem a apresentar uma capacidade intacta para a percepção de melodias simples e um desempenho superior a indivíduos com desenvolvimento típico para processar elementos locais melódicos. Apesar disso, observa-se uma dificuldade para decifrar algumas melodias complexas e isto está ligado à dificuldade em formar “imagens musicais”, ou seja, compreender e ter uma visão global de séries de melodias que não apresentam o mesmo direccionamento.

 

 

As pessoas com autismo percebem sentimentos e emoções na música?

 

- De acordo com pesquisas cujos resultados foram obtidos a partir de análises fisiológicas de alterações na pele dos indivíduos enquanto eles ouviam música: as pessoas com autismo costumam ter uma percepção apropriada dos sentimentos e emoções evocados pelas músicas.

 

- Nestes estudos, as pessoas com autismo em geral conseguiram identificar alegria, tranquilidade ou tristeza, por exemplo, ao ouvirem música, de maneira parecida com as pessoas neurotípicas;

 

- O fato da compreensão dos sentimentos e a expressão emocional estarem aparentemente preservadas entre as pessoas com autismo quando elas são expostas às musicas indica oportunidades e possibilidades amplas de trabalhos terapêuticos que envolvam o desenvolvimento da comunicação, aprendizagem e interação social.

 

Como é que a música pode ajudar as pessoas com autismo?

 

A Musicoterapia voltada para as pessoas com autismo tem como objectivos o desenvolvimento de talentos e habilidades mediado pelas experiências musicais. A música poderá beneficiar o tratamento de crianças, adolescentes e adultos ao:

 

- Possibilitar a acção das pessoas com autismo dentro da estrutura temporal da música, através de participações livres, da exploração de instrumentos e de improvisações;

- Oferecer oportunidades de auto-expressão e de vivências criativas, como experiências de comunicação e interacção entre pares sem a necessidade do discurso verbal;

- Oferecer alternativas de expressão e comunicação de modo socialmente adequado;

- Apresentar oportunidades para que as pessoas com autismo possam assumir responsabilidades com os demais indivíduos, por exemplo, quando os mesmos estão produzindo música em conjunto;

- Fomentar o aumento da comunicação verbal e não-verbal entre os pares;

- Possibilitar a aprendizagem de regras sociais para poder replicá-las em outros ambientes e contextos.

 

 

Este artigo é uma parceria com a psicóloga

Sofia Castro Sousa

Visitem  a página

https://www.facebook.com/sofiadecastrosousa/

e o blogue.

 

 

 

Ausência...

 

“Ausência, escuta o meu protesto
Contra a tua força,
Distância e duração;
Para os corações constantes
Ausência é presença;
O tempo espera. (…) “

 Inicio este post sobre a minha ausência com um pequeno excerto do belíssimo poema de Johne Donne

Sim tenho estado ausente, mas presente, calada, recolhida no meu mundo, cansada. Às vezes penso se os genes a que o meu filho puxou com tanta força não foram os meus. Tenho por vezes uma forte necessidade de me recolher ao meu mundo à minha concha, isolar-me. Há alturas em que o mundo para mim é um terreno perigoso, onde pela simples exposição de socializar temo ferir e ser ferida. Talvez ande mesmo muito cansada. Só em duas semanas consegui evitar entrar em sentido contrário numa estrada, mas para isso fiquei parada dez minutos apensar para onde tinha que ir num caminho que conheço há mais de dezoito anos e consegui evitar um acidente quando o carro me rodopiou na auto estrada. Grata, contudo, por ter tido sangue frio para parar e pensar e para não entrar em pânico quando o meu carro rodopiou. Mas fiquei a pensar se não sinais do universo para abrandar, para parar. Vou voltar aos pouquinhos.Tenho tanta coisa para contar e para partilhar. Começamos pelo consultório. Hoje temos mais um fantástico artigo da Sofia Castro Sousa e aos poucos retomarei as visitas atrasadas. Mesmo que ainda me apeteça ficar recolhida na minha concha, não vou desistir deste cantinho.

Feliz Dia da Mãe e de quem ama um filho!

É simples em vez de se abolir ou ignorar o dia da mãe, porque a mãe também merece um dia dela, porque não simplesmente desejar um feliz dia da mãe e de quem ama um filho, seja ele, neto ou sobrinho, e nem digo adotado porque quem sei que quem adota passa a ser mãe. E se a criança tem dois pais celebrará duplamente o dia do pai. Se tem duas mães celebrará duplamente a mãe. Se não tem mãe é dia de quem o ama como filho. Simples não? Parém de implicar com tudo, com o politicamente correto. Feliz dia da Mãe e de quem ama um filho!

Desculpem se não ou politicamente correta e não concordo que se ignore o dia da mãe. Embora o seja todos os dias. As mães também o direito ao dia delas sem culpa de qualquer constrangimento que possa haver.