Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas de uma mãe atrapalhada 2: o nosso anjo azul

Um dia escrevi sobre as aventuras e desventuras das delícias da maternidade e do milagre da vida! Este é a continuação dessas aventuras com um menino especial e as suas peripécias.

Crónicas de uma mãe atrapalhada 2: o nosso anjo azul

Um dia escrevi sobre as aventuras e desventuras das delícias da maternidade e do milagre da vida! Este é a continuação dessas aventuras com um menino especial e as suas peripécias.

SIM, EU NEM SEMPRE SIGO REGRAS E DEPOIS?

IMG_20190329_113335-1.jpg

Se eu fosse cego ninguém me ia exigir que eu visse! Se eu fosse paralítico ninguém me ia exigir que eu andasse. Se eu fosse disléxico não me contavam os erros. Eu sou AUTISTA porque me exigem que eu siga regras sem eu as entender? Porque me exigem que seja igual aos outros no meus comportamentos? Não entenderam ainda? Eu não as percebo. E se eu não as perceber não as sigo. Porque me exigem que saiba esperar? Quando esperar me faz mal? Eu entro em ansiedade, eu não percebo porque não tenho logo o que gosto.

 

Eu digo Obrigado e faz favor desde os dois anos, são das poucas palavras que falei aos dois anos. Sim eu deito-me no chão quando estou zangado e não percebo porque não posso ir-me embora do Hospital quando há sítios mais giros para estar, quando eu queria estar no parque a andar de baloiço e de escorrega. Eu não sou mal educado. Eu fico agitado em sítios com muita gente, eu fico agitado em sítios apertados. Eu não gosto de estar quieto de estar parado, eu oiço as vozes de todas as pessoas ao mesmo tempo na minha cabeça. Sim eu deito-me no chão quando não consigo o que quero porque lá sinto-me seguro.

 

  Eu até sou muito meigo. Mas se estiver deitado no chão com uma crise sensorial, não oiço, nem vejo ninguém, e posso tornar-me agressivo. Por isso se os meus pais lhe pedirem para se afastar , afaste-se! Eles estão a proteger-me mas também o estão a proteger a si de ser agredido. Não faço por mal. Apenas não consigo controlar. Sim eu deito-me no chão quando não consigo o que quero porque lá sinto-me seguro. É por isso que os meus pais me deixam ficar no chão até eu me acalmar.

 

Eu posso não verbalizar. Mas eu ouço tudo o que dizem sobre mim, por isso não falem como se eu fosse invisível. Eu observo mais do que parece. Eu aprendo mais do que vos dou entender . Por isso não subestimem as minhas capacidades. . E recordo mais coisas do que possam imaginar. Por isso não me ignorem eu também tenho algo a dizer.

 

Pode parecer que não quero brincar com os outros meninos. Mas quero. Nem sempre sei como o fazer.

Sim eu rio e às vezes grito se estiver no cinema. E vocês nunca se riram ou deram um grito quando foram ver um filme?

Porque acham tão estranho que eu o faça????

 

Eu sou autista, mas também sou uma criança com direito a usufruir de tudo e ser feliz!!!

 

Texto inspirado no que aprendo com o meu filho e em textos que leio de autistas e sobre o autismo.