Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas de uma mãe atrapalhada 2: o nosso anjo azul

Um dia escrevi sobre as aventuras e desventuras das delícias da maternidade e do milagre da vida! Este é a continuação dessas aventuras com um menino especial e as suas peripécias.

Crónicas de uma mãe atrapalhada 2: o nosso anjo azul

Um dia escrevi sobre as aventuras e desventuras das delícias da maternidade e do milagre da vida! Este é a continuação dessas aventuras com um menino especial e as suas peripécias.

GONÇALO E AS PALHACINHAS DO FESTIVAL DO PANDA

 O Gonçalo é muito seletivo com quem interage, por isso estas meninas que faziam de palhacinhas no Festival do Panda em Oeiras no dia 8 de Julho podem considerar-se umas sortudas privilegiadas porque ele adorou-as.

Ele alinhou por completo na brincadeira. Disse-lhes olá, Respondeu que sim que gostava do Panda e até lhes disse o nome em   Gonçalês (Golalo) coisa que raramente diz.

  Ele alinhou a dizer que o Panda era fixe e para minha grande surpresa e espanto porque costuma ser uma luta deixar que lhe ponham seja o que for na cabeça (foi uma luta com o chapéu de finalista lembram--se?), deixou que lhe pusessem uma cartola, e até ganharam um beijinho do Gonçalo, a seguir ainda pousou para as fotos.

Digam lá se não está o máximo???

 (Vejam as três fotos na Galeria acima)

                                                                               As fotografias foram tiradas pela talentosa mana Babá. Todos os direitos reservados.

FOMOS AO FESTIVAL DO PANDA!!!!

O pai não pôde ir por isso fui eu a Babá (a mana mais velha) e o Gonçalo ao Festival do Panda Domingo passado em Oeiras.  Felizmente o Gonçalo estava bem-disposto e cooperou bastante no início deixou que lhe pusessem a pulseira de identificação, coisa que nunca deixava, no Hospital era sempre um trinta e um com isso.

 

Eu estava um pouco ansiosa porque ela não gosta muito de multidões, mas não houve problema felizmente.

O Festival foi em Oeiras no Parque dos Poetas o que é um espaço muito bonito, mas disperso.

As filas para os insufláveis eram intermináveis pelo que não fomos para nenhuma. Mas o Gonçalo ainda participou de umas atividades de pistolas de água e rebentar balões com um capacete, só se atrapalhou com as andas de patas. No início foi difícil fazê-lo esperar, mas nas atividades seguintes ele percebeu que tinha de aguardar a vez dele.

O facto de os espetáculos não serem todos no palco principal, fez com que perdêssemos o Pocoyo   e chegássemos ao das Winx já no fim e quando chegámos ao principal só conseguimos lugar num sitio que mais parecia “parque de estacionamento de carrinhos de bebé”.

 

Apesar dos avisos dos apresentadores havia muitos adultos de pé á frente das crianças, o que fazia com que outros ficassem de pé com as crianças às cavalitas e não se via grande coisa.

Mas pronto, lá se conseguiu vislumbrar algo do Noddy, dos Wings e aqueles que o Gonçalo vibrou mais foi o Rei Juliano e a Masha e o Urso.  E deste ele gostou tanto que depois do Urso mandar um grande abraço à Urso, quem ganhou um grade baraço à urso foi aqui a Mamã Gansa !

 

Ainda fomos até perto do palco no final, mas a saída dos personagens quase não conseguimos ver.

 

Já fui a vários e para mim os mais organizados eram os realizados no Estádio do Restelo onde os espetáculos e as diversões são no mesmo recinto e as pessoas respeitavam mais, porque a segurança tinha mais controlo. Lembro-me de há uns anos quando estava grávida do Gonçalo de terem vindo ter comigo por estar de pé, sem estar na frente de ninguém, pedirem-me para me sentar e depois de explicar que me custava muito o esforço de estar sentada e levantar é que me deixaram ali ficar ao lado de uma segurança. Este ano estava de pé quem queria e lhe apetecia grrrr…

Outra coisa que abomine foi ver o lixo que as pessoas deixavam. Eu sozinha com duas crianças (ok, uma já é adolescente, foi mais para ajudar) levei um saco onde guardei todo o lixo quando não tinha caixotes por perto.  e não fiz lixo nenhum no chão, mas era vergonhoso de ver. Que exemplos dão estas pessoas aos seus filhos???

 (E bem se foram lá e viram uma invasora na casa de banho dos Homens era eu, que precisava de mudar a roupa ao filho e a das mulheres estava cheia. E bem verdade seja dita que o Gonçalo estava no sítio certo e a invasão foi rápida.)

 

O Gonçalo provou o seu primeiro Beijo na Boca, (nada do que estão a pensar malandrecos/as), mas sim, uns fantásticos gelados de fruta artesanais com uma boa relação qualidade preço.

Ainda fomos brincar no Parque mas o ponto alto para mim foi a interação do Gonçalo com as palhacinhas e outros personagens, à exceção das banhistas que ele não quis nada com elas, mas já foi no fim e ele estava cansadinho.

 Deixo ainda um elogio a todo pessoal do Staff que era de grande simpatia. Não podia ser tudo mau.

Bem como este já vai longo deixo a História do Gonçalo e as Palhacinhas para o próximo post.

 

 fotos de minha autoria todos os direitos reservados

A REUNIÂO COM A EDUCADORA

 

O meu filho não tinha tido muita sorte com os seus cuidadores, até aqui. Primeiro teve uma ama que o deixava em casa sozinho enquanto dormia para ir passear os cães. E isto foi o que eu vi. Sabe-se lá quantas vezes não o fez… se calhar para ir tomar café e eu a pagar. Depois teve dois anos num colégio onde era ostracizado e posto de parte e onde em vez de evoluir involuiu, ou seja, bloqueou e regrediu. Em causa desesperada inscrevi-o no Agrupamento onde trabalhava e bendita a hora!!!

A Educadora era exigente, frontal, mas disponível e sempre de sorriso aberto.  Sempre que achou que me tinha de chamar à atenção de alguma coisa fê-lo sem rodeios e deu-me sempre a oportunidade de explicar o nosso lado o da família e do Gonçalo.

Foi sempre de um carinho e de uma dedicação sem par, para todas as crianças e o meu não foi exceção.

 

Suportou os primeiros meses onde não conseguíamos ainda controlar o mau hábito que a criança tinha de morder. Para ser justa tenho de incluir toda a equipa do pré-escolar auxiliares e professoras de educação especial incluídas onde em conjunto connosco família operaram em três meses uma mudança notável no Gonçalo visível não só para nós família, mas para os amigos que connosco conviviam. Nestes dois anos a evolução do Gonçalo foi brutal.

 

Contou-nos que o acha um menino muito interessante e que todas (ela e auxiliares) o adoraram apesar do trabalho que deu.

 

Informou-nos que sabia os números de todos de frente para trás e de trás para frente de cor e salteado. O mesmo com as cores e formas. Mas estar sentado e concentrado a trabalhar quer era bom, ainda é muito difícil.

Contou-nos que tinha uma cadeirinha   para onde mandava os meninos com birras irem sentar-se e que nunca mandou o Gonçalo, mas que este quando se zangava ia para lá sozinho.

Diz que ele absorve tudo, mas como se recusa a falar neste momento ficamos sem saber o que mais sabe.

 

Embora tenha tido a má notícia que por ir integrar a unidade não seja inserido numa turma reduzida deu-nos esperança na evolução dele.

 

No final ofereci um miminho à educadora e ás auxiliares que mais estiveram com ele no sentido de expressar a minha gratidão, mas estão sempre no meu coração.

 

 

O Fá Fá

A Educadora contou-me que os meninos da turma do Gonçalo lhe chamavam o Fá Fá, mas  de forma carinhosa, pois muito do que ele  fala o que se percebe é Fa fa fa. Então, às vezes, ela punha esta música que era música do Gonçalo,  e iam todos dançar ao som da música.

 Fiquem com a Deolinda.

Bom Domigo

Nós voltamos amanhã!

 

FOLLOW FRIDAY DE JULHO!

Os blogs mais conhecidos são fáceis de descobrir porque muita gente fala neles, mas neste mundo há muitos mais blogs de qualiade que deviam ser conhecidos , por isso gosto de explorar os últimos posts e descobri-los, Foi assim que descobro o PLaymoblog   da Ana Raquel um blog superamoroso e criativo de pequenas histórias ilustradas com fotografias dos herois da Palymobil para idades dos 8 aos 88.

 

 Espreitem não se vão arrepender!!!