Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas de uma mãe atrapalhada (2ªParte)

Um dia escrevi sobre as aventuras e desventuras das delícias da maternidade e do milagre da vida! Este é a continuação dessas aventuras com um menino especial e as suas peripécias.

Crónicas de uma mãe atrapalhada (2ªParte)

Um dia escrevi sobre as aventuras e desventuras das delícias da maternidade e do milagre da vida! Este é a continuação dessas aventuras com um menino especial e as suas peripécias.

O meu pequeno Finalista de Jardim de Infância.

IMG_20180626_105144 (2).jpg

 

 

Sexta feira passada, dia 22 de junho foi a festinha da escolinha do meu menino. Embora adore dançar, e a turminha dele tenha apresentado uma dança, ele estava um pouco á nora, mas como sempre acompanhado por uma das auxiliares, que o conseguiu ir levando na brincadeira. No entanto consegui perceber que ver toda aquela multidão o incomodava.

 

Terminada a vez da atuação dele o que ele queria era brincar nos colchões das atividades de Educação Física. Depois tiveram de os ir buscar para a exibição, valeu-me ele simpatizar com o professor que sempre o deixa brincar com uma bola ou outra, para ele deixar tirarem os colchões sem fazer as suas manifestações de descontentamento. Bastou eu dizer que o professor precisava dos colchões e assim que ele o viu saiu de cima deles pacificamente.

O meu pequeno príncipe foi finalista de Jardim de Infância. Após dois anos com uma educadora verdadeiramente excecional a todos os níveis, chegou a hora de se despedir dela, o que me deixa com o coração muito apertadinho. Mas após equacionarmos as vantagens e desvantagens de um pedido de adiamento em conjunto com a educadora, psicóloga e professor de educação especial, optamos por não pedir e deixá-lo acompanhar os colegas.

 

Na salinha fez-se uma pequena cerimónia de entrega dos Chapéuzinhos de finalista. Como suspeitávamos de inicio não quis o chapéu, depois lá se conseguiu.

A seguir foram-nos chamar para a cerimónia dos finalistas que se estava a realizar noutro espaço da escola e o Gonçalo não quis largar a mão do pai teve o pai que ir com ele. Quando o chamaram para educadora lhe entregar o diploma lá se conseguiu que ele fosse sozinho ter com ela para o receber e não tirasse o chapéu da cabeça. Grande mérito verdade seja dita também de todo o trabalho por ela realizado e da segurança e carinho que ele sente junto da sua educadora. 

Depois acabei por me vir embora com ele porque ele já não se aguentava no espaço onde estava a decorrer a cerimónia de entrega de diplomas de finalistas e fomos ter à salinha dele, para ele se despedira da educadora e da auxiliar. E de toda a fabulosa equipa do pré-escolar.

 

P.S- As fotos não de grande qualidae mas são crops de fotos de telemovel tiradas pela mana. todos os direitos reservados.

 

Agora só peço que tenha tanta sorte nesta nova fase da sua vida como teve nestes dois anos.