Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas de uma mãe atrapalhada (2ªParte)

Um dia escrevi sobre as aventuras e desventuras das delícias da maternidade e do milagre da vida! Este é a continuação dessas aventuras com um menino especial e as suas peripécias.

Crónicas de uma mãe atrapalhada (2ªParte)

Um dia escrevi sobre as aventuras e desventuras das delícias da maternidade e do milagre da vida! Este é a continuação dessas aventuras com um menino especial e as suas peripécias.

Princesa ou Rainha?

cartoon-queen-drawing-31pintada.jpg

 Eu a brincar com o Gonçalo. Sem obter resposta da primeira, pergunto uma segunda vez

 - A mamã é princesa ou rainha?

 Ele : “ ainha” ! (rainha)

Pronto nada como um filho que sabe fazer as escolhas certas.

 

 

imagem retirada da internet com link de referência e pintada no paintbrush

ESTOU FARTA DE QUEIXINHAS!!!!!

queixinhas.jpg

 

Compreendo que os meninos sejam pequeninos e não compreendam que o Gonçalo é um menino diferente se isto não lhes for explicado. Mas sei que a educadora tremendamente competente e acima de tudo de uma sensibilidade fora de série, já lhes explicou.

Ora, como gosto de crianças,e porque é o que gosto que sejam com o meu filho, tento ser sempre carinhosa quando me dirigem a palavra e me fazem queixinhas do Gonçalo, até porque sei que essas coisas são comuns entre crianças. Mas todos os dias, o mesmo menino, a fazer queixinhas até as coisas mais absurdas já me cansa! Hoje fui brutinha e simplesmente respondi ao menino:

 - Olha querido, eu hoje não tenho tempo para as tuas queixinhas.

  E fique a pensar que seriam os comentários do menino quando chega e que raio de pais educarão esta criança e com que valores! É que já irrita!

Astronauta

 

Vejo que que o Gonçalo vê atentamente um vídeo de um lançamento de um foguetão da Nasa no youtube. Pergunto se está a gostar. Responde que sim. Para me certificar pergunto se quer ver os seus desenhos responde que não. Continuo a falar com ele.
-Gostas de Foguetões?
*-Tiiiiimmm!
-São divertidos, não são?
-Tiiiim!
- Então queres ser astronauta? - pergunto na brincadeira.
-Tiiiiimmmmm!- responde animado.
Fico a pensar que se responde sim , só porque sim. Para o testar pergunto:
-Então queres ser Bombeiro?
-Não.- responde ele , acompanhando a resposta com um movimento de cabeça
Volto a perguntar:
-Então queres ser astronauta para andar de foguetão?
-Tiiiiiimmmmm!- Entusiasmado

- E também vais de foguetão à lua?
- Não. Ao “ paço”
- Ao Espaço?
-Tiiiiimmm!

“Conserta Gonçalo. Jr “

wreck-it-ralph-felix-600x600.jpeg

 

Hoje é dos poucos dias que consigo ter horário para ir buscar o Gonçalo à Escola. Normalmente vai o pai. Hoje fomos os dois. Assim que lá chego.  Vem um coleguinha dele dizer-me:

-O Gonçalo partiu o Globo. E eu: - Aí sim que maroto!

 Chega outra menina com uma bandolete de rata Minnie partida e diz-me que tinha sido o Gonçalo, digo-lhe que o fez sem querer, porque a achou bonita e prometo oferecer-lhe uma nova.

Satisfeitos com as respostas vão às suas vidinhas. Assim que consigo falar com a Educadora diz-me ela:

 - Oh mãe tem de comprar umas ferramentas melhores para o Gonçalo. Partiu o globo e depois andava atrás de mim com a chave de fendas para arranjar. Partiu a régua  e voltou a fazer o mesmo. Hoje não largou as ferramentas. Acho que ele andou a partir coisas de propósito para arranjar! - e rimo-nos as duas. 

 A R. que é auxiliar da sala acrescenta: - tudo que seja e apertar e enroscar ele gosta.

- Bem, já podemos ficar descansados quanto ao futuro dele arranjamos-lhe um estágio com o nosso mecânico- respondo eu virada para o meu marido. Rimo-nos todos

   E pronto o puto hoje andou numa de se armar em *Conserta Félix Júnior!

 Só que em vez de um martelo mágico tinha uma chave de fendas!

 

* comparção ao personagem do filme “Força Ralph” que conserta tudo com o seu martelo mágico.

(imagem retirada da Internet com link de referência)

 

Aprender o valor do dinheiro.

saving-money-coloring-page.jpg

 

 

Ao comentar uma publicação do “Mãe do coração Sou eu”, lembrei-me da forma que ensinara a minha filha a dar valor ao dinheiro e ás coisas que tinha.

          Quando a minha filha tinha cinco anos pediu-me uma Nintendo ao que lhe respondia invariavelmente: “Nãointendo” (não é erro é mesmo como lhe respondia).  A persistência dela era tanta que combinei com ela e com o pai o seguinte:

          Ela juntava o dinheiro, e quando faltasse pouco para ela comprar a Nintendo eu e o pai ajudaríamos com o restante.

      Durante três anos a minha filha, juntou todo o dinheiro que lhe davam das prendas de Natal e aniversário e uns bónus ou outros que eu e o pai lhe íamos dando.

       Ao fim de três anos ajuntar dinheiro, quando lhe faltavam cinquenta euros para ela comprar a Nintendo que queria eu e o pai demos-lhe o resto e fomos com ela comprar a tão desejada Nintendo.

 

Ainda hoje quando pega nela recorda-se que levou três anos para a conseguir ter.

 

 Desde aí a minha filha aprendeu a dar muito mais valor ao que tinha e a ser menos exigente nas prendas que pedia.

 Aprendeu a dar valor ao dinheiro.

O meu pequeno herói

 

Não há super mães, mas mães que amam os seus filhos. Eu falo por mim e por quem se reconhecer nas minhas palavras.

   Todas as crianças são especiais, mas umas mais do que outras. Todas as mães se deparam com desafios ao logo do crescimento dos seus filhos.  Não sei se só eu que por vezes me interrogo, se estou a ser uma boa mãe para os meus filhos.

Qual é a mãe que não tenta fazer o melhor pelos seus filhos? Creio que somente uma mãe que não ame os seus filhos.

  Creio que todas passamos noites sem dormir à cabeceira dos filhos quando estão doentes. Que vivemos horas de ansiedade quando temos um filho internado e que ficamos sem chão quando algo de errado se passa com os nossos filhos.

 

 A minha filha sempre foi muito elétrica, virou-se com três meses, gatinhou e falou aos seis meses e aos dois quem a ouvia falar, não acreditava que ela só tivesse dois anos. Com 39 graus de Febre fazia-me correr atrás dela pelo Hospital. Os médicos só acreditavam que ela estava doente quando lhe viam a temperatura, porque ela simplesmente não parava e não se calava. Ainda hoje não se cala… quem via perguntava-me: - Como é que aguenta?

Juro que estranhava a questão, mas respondia: -É simples é minha filha – e para mim nessa frase estava implícito o amor.

 

Agora perguntam-me o mesmo do meu filho, quando percebem que é um menino diferente.

E acrescentam que devo ficar estourada ao fim do dia. E eu respondo: - Sim, mas ele em casa é mais calmo e tranquilo. -  E de facto assim é.  E quando me perguntam como é que aguento a resposta é a mesma que dava há anos atrás quando a minha filha era pequena.

 

Já passei por muito, mas ele passou por muito mais, e soube arranjar forma de comunicar connosco. Quando perdeu a audição nos tímpanos recorreu aos gestos para se fazer entender.   Recorreu aos beijos e aos abraços para nos dizer que nos amava. Recorreu ao choro e às “birras” para nos dizer que não estava bem.  Quando queria que fossemos a algum lado com ele puxava-nos pela mão.   Se há alguém aqui que é Super em alguma coisa é o meu filho.

 

Ele é o meu herói! O menino que brincava sozinho na escola porque o punham de parte, o menino a quem batiam e depois iam fazer crer que tinha sido ele a começar porque ele não falava para se defender. O menino que não tinha amigos porque nenhuma criança se queria aproximar dele. O menino que tinha e ainda tem como seus melhores amigos os heróis dos desenhos animados e os bonecos das suas camisolas. O menino com quem ninguém queria jogar à bola. O menino que nunca nenhum colega convidou para a festa de aniversário.  E este menino conseguia ser incrivelmente feliz e sorrir!

Se há aqui algum herói, alguém cheio de coragem é este menino a quem a vida lhe pregou uma partida e ele enfrenta-a  diariamente cheio de garra. O meu pequeno   Super-Herói.

 Eu, sou só a mãe que o amo incondicionalmente.

Pág. 1/2