Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas de uma mãe atrapalhada (2ªParte)

Um dia escrevi sobre as aventuras e desventuras das delícias da maternidade e do milagre da vida! Este é a continuação dessas aventuras com um menino especial e as suas peripécias.

Crónicas de uma mãe atrapalhada (2ªParte)

Um dia escrevi sobre as aventuras e desventuras das delícias da maternidade e do milagre da vida! Este é a continuação dessas aventuras com um menino especial e as suas peripécias.

ELE É ESPECIAL?

Estava no cafézinho aqui do Burgo a tentar a ver o jogo. Digo tentar porque não consegui, porque o Gonçalo não parava, quando um menino da mesma idade me perguntou:

 

- Ele é especial? - Fiquei surpreendida pela sensibilidade do menino e respondi-lhe.

 - Sim, querido, ele é especial.

Ao que o menino me respondeu:

-Também tenho um menino especial na minha escola.

 Então perguntei-lhe:

- E brincas com ele?

O menino hesitou por uns momentos e respondeu:

- Não.

- Então devias começar – respondi eu- porque és um menino inteligente.

E é isto: a chamada Inclusão.

O meu pequeno Finalista de Jardim de Infância.

IMG_20180626_105144 (2).jpg

 

 

Sexta feira passada, dia 22 de junho foi a festinha da escolinha do meu menino. Embora adore dançar, e a turminha dele tenha apresentado uma dança, ele estava um pouco á nora, mas como sempre acompanhado por uma das auxiliares, que o conseguiu ir levando na brincadeira. No entanto consegui perceber que ver toda aquela multidão o incomodava.

 

Terminada a vez da atuação dele o que ele queria era brincar nos colchões das atividades de Educação Física. Depois tiveram de os ir buscar para a exibição, valeu-me ele simpatizar com o professor que sempre o deixa brincar com uma bola ou outra, para ele deixar tirarem os colchões sem fazer as suas manifestações de descontentamento. Bastou eu dizer que o professor precisava dos colchões e assim que ele o viu saiu de cima deles pacificamente.

O meu pequeno príncipe foi finalista de Jardim de Infância. Após dois anos com uma educadora verdadeiramente excecional a todos os níveis, chegou a hora de se despedir dela, o que me deixa com o coração muito apertadinho. Mas após equacionarmos as vantagens e desvantagens de um pedido de adiamento em conjunto com a educadora, psicóloga e professor de educação especial, optamos por não pedir e deixá-lo acompanhar os colegas.

 

Na salinha fez-se uma pequena cerimónia de entrega dos Chapéuzinhos de finalista. Como suspeitávamos de inicio não quis o chapéu, depois lá se conseguiu.

A seguir foram-nos chamar para a cerimónia dos finalistas que se estava a realizar noutro espaço da escola e o Gonçalo não quis largar a mão do pai teve o pai que ir com ele. Quando o chamaram para educadora lhe entregar o diploma lá se conseguiu que ele fosse sozinho ter com ela para o receber e não tirasse o chapéu da cabeça. Grande mérito verdade seja dita também de todo o trabalho por ela realizado e da segurança e carinho que ele sente junto da sua educadora. 

Depois acabei por me vir embora com ele porque ele já não se aguentava no espaço onde estava a decorrer a cerimónia de entrega de diplomas de finalistas e fomos ter à salinha dele, para ele se despedira da educadora e da auxiliar. E de toda a fabulosa equipa do pré-escolar.

 

P.S- As fotos não de grande qualidae mas são crops de fotos de telemovel tiradas pela mana. todos os direitos reservados.

 

Agora só peço que tenha tanta sorte nesta nova fase da sua vida como teve nestes dois anos.

A contar histórias na escola do filho…

Uma das atividades da escolinha da Gonçalo era as mães ou os pais fazerem um livrinho com uma história com os filhos e irem lá contar. Assim como só na Quarta feira passada consegui tempo, fui lá contar as histórias.  Embora tivesse tentado que o Gonçalo colaborasse comigo de alguma forma, quase não consegui. Apenas consegui que ajudasse a colar os bonecos da capa e contrariado, o que o estava frustrar a ele e a mim pelo que não insisti mais.

   Optei então por escolher umas das historinhas que costumava escrever com a irmã quando ele era pequenina e além do livrinho ainda contei outra história.

 

A primeira coisa que o Gonçalo fez quando me viu de livro na mão foi ir buscar a cadeira para me sentar.

 

DSCF1867b.jpg

 

 

Esteve um pouquinho   sentado, mas depois andou de volta de mim, e foi para o meio da sala onde se pôs a gesticular, chamei-o para o pé de mim para sair da frente dos colegas, mas a Educadora disse que era comum ele fazer isto durante as histórias e que os colegas já estavam habituados.

 

 O pais que também assistiu e fotografou disse que parecia que ele estava a representar a história e mais tarde a irmã confirmou que era o que ele fazia com as histórias que via na televisão. E depois de olhar para as fotografias fiquei exatamente com essa mesma ideia, pois estava a contar uma história sobre uma nuvem e  um caracola e ele ora apontava para o cima quando eu falava da nuvem, ora apontava para o chão quando falava do caracol.

DSCF1871c.jpg

 

Quando fui contar a segunda história sentei-me no chão para estar mais perto dos meninos e o filho veio ter comigo ajudar-me conforme eu acabava de ler ele segurava-me nas  folhas.

Sei que ele não exprime, mas senti que estava orgulhoso por ter ali a mamã a contar histórias.Os meninos gostaram e até a Eduacdora me pediu para ficar com uma das histórias que eu prevamente imprimira já para ela. Assim decidi publicar aqui tambémas histórias que contei, embora já stenhas publicadas noutros blogues.

 

DSCF1896a.jpg

 Fotografias da auoria de Pedro Duarte direitos reservados.

As caras dos meninos estão com os corações por uma questão de manter o anonimato dos mesmos.

Tenho muito que contar…

Tenho andado arredada aqui não por falta do que contar pelo Contrário. Tenho muito que contar, mas também tenho muitos documentos por organizar.

 Esta semana tem sido um pouco complicada e agitada.

 

Fui contar uma Historinha na escolinha do filhote, depois contarei em pormenor noutro post , correu bem, mas no dia anterior fiquei muito triste.

Hoje o Gonçalo foi finalista do Jardim de Infância e foi o dia da festinha dele, também falarei mais em pormenor noutro post.  

Tenho visitado alguns cantinhos quase de corrida e nem sempre consigo deixar uma palavra.

Para a semana, já me poderei dedicar a pôr escrita em dia.

Princesa ou Rainha?

cartoon-queen-drawing-31pintada.jpg

 Eu a brincar com o Gonçalo. Sem obter resposta da primeira, pergunto uma segunda vez

 - A mamã é princesa ou rainha?

 Ele : “ ainha” ! (rainha)

Pronto nada como um filho que sabe fazer as escolhas certas.

 

 

imagem retirada da internet com link de referência e pintada no paintbrush

ESTOU FARTA DE QUEIXINHAS!!!!!

queixinhas.jpg

 

Compreendo que os meninos sejam pequeninos e não compreendam que o Gonçalo é um menino diferente se isto não lhes for explicado. Mas sei que a educadora tremendamente competente e acima de tudo de uma sensibilidade fora de série, já lhes explicou.

Ora, como gosto de crianças,e porque é o que gosto que sejam com o meu filho, tento ser sempre carinhosa quando me dirigem a palavra e me fazem queixinhas do Gonçalo, até porque sei que essas coisas são comuns entre crianças. Mas todos os dias, o mesmo menino, a fazer queixinhas até as coisas mais absurdas já me cansa! Hoje fui brutinha e simplesmente respondi ao menino:

 - Olha querido, eu hoje não tenho tempo para as tuas queixinhas.

  E fique a pensar que seriam os comentários do menino quando chega e que raio de pais educarão esta criança e com que valores! É que já irrita!

Astronauta

 

Vejo que que o Gonçalo vê atentamente um vídeo de um lançamento de um foguetão da Nasa no youtube. Pergunto se está a gostar. Responde que sim. Para me certificar pergunto se quer ver os seus desenhos responde que não. Continuo a falar com ele.
-Gostas de Foguetões?
*-Tiiiiimmm!
-São divertidos, não são?
-Tiiiim!
- Então queres ser astronauta? - pergunto na brincadeira.
-Tiiiiimmmmm!- responde animado.
Fico a pensar que se responde sim , só porque sim. Para o testar pergunto:
-Então queres ser Bombeiro?
-Não.- responde ele , acompanhando a resposta com um movimento de cabeça
Volto a perguntar:
-Então queres ser astronauta para andar de foguetão?
-Tiiiiiimmmmm!- Entusiasmado

- E também vais de foguetão à lua?
- Não. Ao “ paço”
- Ao Espaço?
-Tiiiiimmm!

Pág. 1/2