Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas de uma mãe atrapalhada (2ªParte)

Um dia escrevi sobre as aventuras e desventuras das delícias da maternidade e do milagre da vida! Este é a continuação dessas aventuras com um menino especial e as suas peripécias.

Crónicas de uma mãe atrapalhada (2ªParte)

Um dia escrevi sobre as aventuras e desventuras das delícias da maternidade e do milagre da vida! Este é a continuação dessas aventuras com um menino especial e as suas peripécias.

Imaginam onde estava o miúdo?

Isto passou-se há cerca de duas semanas numa Quinta Feira mas ainda não tinha conseguido escrever.

 A caminho de ir buscar o pequeno comento com o marido:

-Hoje está calor. Espero que não se tenha voltado a meter no chuveiro.

-Às tantas – responde ele e sorri.

Sim já rimos e sorrimos com as suas particularidades.

 Quando chegámos à escola diz-me a auxiliar ele hoje não está cá?

Sorrio e pergunto:

-O que é ele inventou desta vez?

È melhor ir ver mãe.

Pois era aqui (amanhã revelo) que estava. E que feliz que ele estava!

Diz-me um coleguinha: O Gonçalo tem medo do calor!

Devia pensar que ele se estava a esconder do calor

. Quem adivinha onde ele estava ?

 

 

Qual é a criança que não gosta de desenhar?

O meu filho que rabiscava paredes, que rabiscava desenhos nos meus cadernos ao meu colo quando o levava para reuniões, o meu filho que fazia desenhos comigo, que rabiscava nos meus cadernos enquanto eu trabalhava, um dia deixou de desenhar.

       Mas pior do que isso, ganhou aversão a desenhar. A simples palavra desenhar e ele desata aos gritos que não. O meu filho que segurava bem nos lápis e nas canetas, hoje nem as quer ver.

            Queria fazer uma história com ele, para o dia da mãe, mas eu vou ser a mãe que não vai levar história porque o meu filho ao fim de dois anos num infantário particular, onde pagava balúrdios, passou a odiar desenhar. Passou a fugir dos lápis e canetas de cor como se fossem a pior coisa do mundo.

 

          Que criança não gosta de desenhar? O meu filho!

O meu filho não gosta de desenhar e o meu coração fica apertado porque nunca vou saber o que aconteceu. Porque nunca vou saber o que aconteceu, que marcou o meu filho de forma que odiasse desenhar.

Sunshine blogger award (antigo Liebster Award)

Sunshine-Blogger-Award.jpg

 Passeei pelo cantinho simpático da Bruxa Mimi no outro dia, e ela como boa Bruxinha que é, decidiu fazia magia e trazer o 

brilho do Sol ao meu blog com o  Desafio que aceitei com muito gosto.  O desafio consite em responder a 11 perguntas . Aqui estão as minhas respostas:

 

 

1.Ser mãe (pai) a tempo inteiro é/seria uma boa opção para ti (pondo de parte a questão financeira)?

 

Se me perguntasses há 6 anos atrás, dizia não. Agora é um sim sem qualquer dúvida.

  1. Preferes ir à praia ou à piscina?

Praia sem dúvida, embora goste de ambas.

  1. Qual é a tua cor de olhos preferida?

Olhos castanhos “de encantos tamanhos.”

  1. Que prato preferes: de carne, de peixe ou vegetariano?

Gosto de todos, mas pratos de peixe são os meus preferidos.

  1. O que preferes: areia, relva ou neve?

Uma escolha difícil. Areia pela textura e pela história, fico a pensar nos milhões de anos que alguns grãos de areia têm.

  1. Preferes ir ao cinema ou ao teatro?

 Outra escolha difícil, pois gosto imenso de ambos.  Cinema, apesar de agora já conseguirmos ver muitos filmes nos serviços de videoclube e no computador, o Cinema e o grande ecrã continuam a ter uma aura mágica para mim.

 

  1. Qual é o teu restaurante preferido e onde fica?

Já lá não vou há muito tempo. O Pregoeiro em Carnide (se ainda não mudou de nome). Tinham um bacalhau com batatas a murro de chorar por mais e claro o famoso bife na pedra..

 

 8 Qual é o melhor presente que te podem/poderiam oferecer?

Livros.

  1. O que preferes: chocolate(s) ou gelado(s)?

Gelado de chocolate assim não tenho de escolher … eh eh eh

  1. O que é pior para ti: tirar sangue para análises ou ir ao dentista?

Ir ao dentista. Tirar sangue não me faz confusão nenhuma, sou dadora.


11. Qual é a primeira palavra que te vem à cabeça e que rima com "Mimi"? (pode não ser a primeira, vá )

Sorri (foi a segunda…   )

 

 

Regras deste desafio:

* Agradecer à Blogger que te nomeou.

Obrigada, Bruxa Mimi!

 

* Responder às 11 perguntas que te foram dadas. 

Feito

 

* Nomear 11 bloggers e fazer-lhes 11 perguntas. 

Continuem a ler e chegarão a essa informação!

 

* Colocar as regras e incluir o logótipo do prémio no post. 

OK!

 

“And the Oscar goes to..” ah não é o Oscar é. o desafio vai para:

E agora as perguntas

Perguntas.

 

1-Lembras-te do dia em que decidiste criar o teu blogue?

2-Como escolhes os blogues que lês?

3- Num dia de Verão (em Portugal), fora de casa qual seria o teu local de eleição?

4-  Qual o cenário ideal para ler um livro?

5- Se fosses ator/atriz , dos filmes que conheces que personagem gostarias de ser?

6-Cidade ou Campo?

7- Café ou Chá?

8-Qual é o teu filme preferido?

9- Qual a tua peça de vestuário preferida?

10- Quando acordas a primeira coisa em que pensas é…

11-Onde estavas quando foi o vinte e cinco de Abril?

 

Às vezes lembra-se de cada uma...!

Cheguei á escola para ir buscar o Gonçalo e diz-me uma das auxiliares:que é como todas elas um querida :

-Aí mãe nem sabe o que ele fez, foi surreal.  Fui à casa de banho com os meninos e quando dei por ele, estava ao pé do Chuveiro e ia tomar banho, ainda molhou a cabeça, foi só a cabeça.

      Aliviada por não ser pior ri-me:

- Ora o rapaz, tinha calor, havia um chuveiro ele ia tomar banho!

E pronto rapaz no seu melhor, para aquilo que lhe interessa desenrasca-se, mas peçam-lhe para falar e ele foge…

 

Apresentação

          Quem sou eu. Apenas uma mãe como tantas outras, mas que gosta de transformar manchas amarelas em sol. Sou uma mãe abençoada com dois filhos especiais. Uma filha que falou precocemente com seis meses e aos dois anos não se calava e daí nasceu o que posso considerar a primeira parte deste blog: O “Crónicas de uma mãe atrapalhada”.

             Anos mais tarde fui de novo abençoada, mas desta vez com um menino, até mais ou menos aos dezoito meses parecia crescer sem qualquer problema Como tudo na minha vida parece passar de um extremo ao outro, o meu filho disse meia dúzia de palavras e conforme foi crescendo parou de falar. O meu coração de mãe dizia que algo de errado se passava, mas desde de familiares, a médicos todos achavam que me preocupava em vão. Mas o menino foi crescendo e continuava sem falar.

            Quando entrou para a creche a Educadora confirmou-me que algo não estava bem. E desde aí começou outra luta.  Após alguns exames de otorrino descobriu-se que o menino não ouvia! O Timpanograma de ambos os ouvidos vinha zero, duas linhas retas, não entrava nenhum som. O meu filho tinha crescido no silencio! Não ouvia e por isso não falava. Fiquei de rastos, senti-me a pior mãe o mundo, só me perguntava porque não tinha seguido a minha intuição? Como não tinha percebido? Sobre isso descansaram-me as Otites serosas por vezes não davam sinal, nem febre nem dores. Mais tarde foi operado, mas não evoluiu muito mais.  Começou um novo périplo de corridas para médicos e Hospitais e o diagnóstico que eu temia chegou: T. E.A. (Transtorno do Espectro do autismo).

Fiquei sem chão!

 Passei um mau bocado e às vezes ainda passo!   O menino era alvo de Bullying na creche (particular) por isso mudei-o para uma escola Pública onde teve a sorte de ter uma Educadora fora de série e uma equipa de auxiliares cinco estrelas e que o ajudaram a evoluir imenso.

  E foi por isso que não continuei a escrever sobre o menino?

Sim e não. Passei um período de choque onde não sabia como o proteger e fui-me abaixo, depois olhei para o meu filho e percebi que a única maneira de o proteger era erguer-me e lutar para o ajudar de todas as formas que pudesse. O meu filho hoje tem seis anos, (embora pareça ter três) e é um menino muito inteligente e feliz à sua maneira de que me orgulho muito. E sim, a história dele tem de ser contada, mas não pude contá-la no meu outro blog porque infelizmente perdi a senha de acesso a ele durante um tempo e assim decidi criar este para contar a história do meu filho e quem sabe desta forma sensibilizar as pessoas estas “Incapacidades invisíveis”.

   A minha filha já tem treze anos e depois de ler o blog da sua infância pediu para partilhar um blog comigo “O Crónicas de uma filha atrapalhada” e como a escrita é o meu escape e ás vezes gosto de desabafar com as letras e “cozinhá-las” a meu bel-prazer tenho o “Sopa de Letras”. blogs em que também assino como Alfa.

Já é tarde e já me alonguei. Por hoje fico por aqui. Voltarei!